28 de set de 2011

Dexter S06E01 - Those Kind of Things

A qualidade de Dexter é questionada desde os sucessivos episódios ruins e pouquíssimos episódios de qualidade (uma das exceções é o episódio My Bad) da temporada anterior. É preciso admitir que a série não tem mais motivos para continuar e precisa muito ser finalizada o quanto antes, mas, pelo que parece, Michael C. Hall já negocia uma sétima temporada...

*Spoilers a partir daqui.


O estrago já está sendo feito e o início desta sexta temporada é, na realidade, uma sequência sucessiva erros. O primeiro minuto é intrigante e atrativo. Dexter sangrando? Chamando uma ambulância? Porém os roteiristas resolvem a cena de uma maneira estúpida e absurda. Aliás, absurdo é o que não falta em 53 minutos. O primeiro deles é quererem corrigir um dos piores erros de toda a série: o casamento de Angel com LaGuerta. Começar a série com os personagens divorciados (e fazendo questão de deixar isso totalmente explícito e forçado nos diálogos) foi assumir o fracasso da ideia de casar os dois.

Depois de dada a informação ao telespectador é a hora de jogar referências exacerbadas à religião. Afinal, é essa a proposta da atual temporada, não é? A abordagem, porém, é que irrita. Quase tudo leva Dexter a uma reflexão religiosa. Até mesmo a aparição dos novos serial killers da temporada que citam, no final, um trecho de Apocalipse do Antigo Testamento que remetem ao ritual feito na vítima deles. O colégio religioso para Harrison, a tatuagem de Jesus na vítima de Dexter... Credo! Não me lembro de um roteiro tão forçado assim desde... desde... Ah, desde Everything is Illumenated. Há aquela sensação que só existem os protagonistas na polícia de Miami, isso é até aceitável comparado a cena do tiroteio no restaurante.

Minto, comparado a um Dexter fazendo dancinha em festinha tudo é aceitável. Preocuparam-se tanto em encontrar uma solução para a trama de Angel e LaGuerta que esqueceram, por exemplo, de dá alguma menção às crianças. Aliás, desde que Rita morreu as crianças pouco aparecem na trama o que não é tolerável. É os roteiristas de Dexter estão em crise. Só isso pra explicar a cena do sexo oral apenas para o personagem conseguir chegar à sua vítima. A certeza que foi uma apelação para ganhar mais audiência foi o fato da atriz deixar a parte de cima nua (para uma cena de sexo oral? Really?).

É lamentável escrever sobre um episódio ruim para essa série que teve três temporadas tão boas. Não é mais motivo de alegria ver Dexter começar outra temporada. Quer ver eu dá pulos de alegria? Anuncia logo que a série vai acabar. Não tenho mais intestino pra isso.

☆ Direção do episódio: John Dahl Roteiro: Scott Buck

Um comentário:

  1. Com objetivo comercial a maioria das series vão se arrastando e agonizando ate morrer,com finais que nem sempre são o que o publico esperava,mesmo assim Dexter e uma das melhores series de todos os tempos,acho que todos temos um Dexter escondido dentro de nos esperando para vir a tona,só não temos coragem para admitir,vou dar um bom exemplo quem nunca sentiu vontade de estrangular o seu chefe no trabalho que atire o primeiro dvd.a proposito mesmo sem concordar com tudo que você disse adorei seu texto,parabéns!

    ResponderExcluir

Seguidores