20 de mar de 2010

Top 10 - Melhores de 2009

Após a premiação do Tulipa, divulgo a lista dos 10 melhores filmes do ano. Os três primeiros textos são do blog mesmo, o retante são odos blogueiros, espero que não se importem que eu tenha usado seus belíssimos textos. Até o ano que vem.


Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino

"É absolutamente empolgante tentar compreender a mente de Quentin Tarantino. Quando você pensa que ele não o surpreenderá seu queixo fica no chão. É a situação que passamos diante de sua nova obra, Bastardos Inglórios, (talvez a forma mais genial de se fazer cinema na atualidade). Tarantino nos mostra a sua supremacia neste filme e prova que ele é o melhor roteirista de sua geração e um dos melhores diretores também. O cineasta superou as expectativas de quem não esperava muito e superou, principalmente, as expectativas de quem acreditava em sua capacidade; a forma como conclui seus filmes é de um cinema antigo e ao mesmo tempo contemporâneo, cinema bom e raro no mercado. Sabe quando estamos diante de um filme que perpetuará pela vida toda em nossas mentes e em alguns anos torna-se um clássico? Então, isso é Bastardos Inglórios."


Avatar, de James Cameron

"A capacidade que o cinema tem de nos surpreender é infinita, é algo que jamais deixaremos de sentir ao estarmos confinados na querida sala escura. Foram 12 anos sem vermos absolutamente nada novo de James Cameron na grande tela e é óbvio que a espera valeu muito a pena. É notável que cada segundo de Avatar é feito com uma dedicação extrema. O universo criado por Cameron é algo que não queremos parar de sempre receber mais informações de uma cultura nova. A criação de Pandora foi uma das coisas mais geniais criadas especialmente para o cinema que eu vi nesta década. Não há livros como fontes, nem lendas ou tudo aquilo que alimenta o a fantasia cinematográfica. É apenas a brilhante e ilimitada mente de James Cameron."


(500) dias com ela, de Marc Webb

"A maioria dos casais de namorados que vão ao cinema ver comédias-românticas sabem que assistirão um filme que o cara conhece a garota faz de tudo para conquistá-la; eles acabam ficando juntos; surge uma crise, eles brigam e se separam; e no fim do filme eles fazem declarações uns aos outros e terminam juntos. É esta a base dos filmes de comédia-romântica ultimamente. E parece que todo mundo já está cansado da mesmice. Hoje, é para isso que servem a maioria das comédias-românticas com tramas clássicas: entreter namorados que, nem prestam mais atenção nestes filmes. Existe a regra e a exceção. 500 dias com ela é a exceção. O filme já começa com uma impactante, inteligente e hilária nota dos autores que já nos mostra o quão diferente será os minutos seguintes da projeção. "Diferente" é o que distingue 500 dias com ela."

O Lutador, de Darren Aronofsky

"No seu 4º filme, o engenhoso (e eclético) Darren Aronofsky (Fonte da Vida) deixa para trás as complexidades de distúrbios psicológicos, vício em drogas e buscas existencialistas para falar sobre um tema mais simples (e verídico). Ainda que, dadas as suas proporções, a vida aqui retratada de Randy ‘The Ram’ Robinson guarda suas próprias complexidades e nuances particulares. A questão é que “O Lutador” é diferente de tudo que Aronofsky fez, e é fascinante ver o resultado de sua versatilidade aqui, quando se prova não só visionário, mas profundo, apaixonado e singular. Muito do que o filme é, e muito do que consegue, deve-se há habilidade brilhante de Aronofsky em unir o cru e o emocional em um pacote de sentimentos borbulhantes e verdades cortantes. É um trabalho tão honesto, puro e chocante nos sentimentos defasados que retrata que ele te nocauteia muito como o próprio protagonista constantemente é ao longo da sessão."
- Wally, Cine Vita
LEIA A CRÍTICA COMPLETA


Quem Quer Ser Um Milionário, de Danny Boyle

"Sempre gosto de ver a filmografia de quem atua e de quem dirige um filme pra saber quais foram os possíveis filmes que já tenha assistido daquele diretor ou ator. E é impressionante que de vez em quando eu me surpreenda com o resultado. Como aconteceu com o filme de Woody Allen, eu NUNCA havia assistido a um filme sequer dele, mas agora já melhorou, são dois e mais virão. Com Danny Boyle (Sunshine – Alerta Solar) também foi a mesma coisa, eu nunca pude conferir um filme seu. É claro que não se compara com Woody até porque a lista de filmes desse é bem maior. Enfim, tive a oportunidade de conferir Slumdog e, sem muitas expectativas (mesmo com tantas indicações e tal, achei a sinopse um tanto besta), acabei me surpreendendo com o longa."
- Robson, Portal Cine
LEIA A CRÍTICA COMPLETA


Inimigos Públicos, de Michael Mann

"Michael Mann tem um estilo de conduzir filmes bem interessante. Coloca em seus filmes toda a energia que uma produção do gênero precisa. Um dos pontos principais é a condução da câmera na mão e combinar bem a trilha sonora. Essa versatilidade que vimos em filmes como Fogo Contra Fogo e Colateral acaba mudando de tempo em Inimigos Públicos."
- Mayara, Apaixonada por Cinema
LEIA A CRÍTICA COMPLETA



Star Trek, de J.J. Abrams

"O diretor Christopher Nolan provou com “Batman Begins” que se pode reiniciar do zero uma franquia que já é considerada bem-sucedida, tendo como base principal o respeito ao material no qual ela foi baseada. Apesar das últimas obras inspiradas nas aventuras da série “Jornada nas Estrelas”, a qual foi criada por Gene Roddenberry na década de 60, terem sido fracassos de bilheteria, a Paramount Pictures apostou na força dos personagens e da história e jogou suas fichas nas mãos do diretor e produtor J.J. Abrams, que causa barulho com os seriados que cria para a TV (como “Lost”, “Fringe” e “Alias”) e que ficou responsável pela recriação deste universo para ser apresentado na grande tela. "
- Kamila, Cinéfila por Natureza
LEIA A CRÍTICA COMPLETA


Distrito 9, de Neill Blomkamp

"Numa época em que a ficção científica já sofre com uma falta de originalidade impressionante (alguém lembra da última vez que tivemos um filme do gênero realmente memorável?), Distrito 9 surgiu como uma possível esperança para novos realizadores que pretendem trazer algo de novo à área. É quase como se funcionasse como um anti-Transformers, longe de seu sucesso (apesar de alcançar um resultado satisfatório de bilheterias), porém o oposto em termos de narrativa e pela forma como constrói uma bela trama de ação sem nunca apelar. A história, baseada num curta do próprio Neill Blomkamp – um diretor sul-africano, especialista em efeitos visuais -, já era muito curiosa desde sua concepção e foi levada às telas da maneira mais adequada possível."
- Vinícius, Blog do Vinícius (atual Central de prêmios)


Dúvida, de John Patrick Shanley

"O próprio pôster do filme já aponta: “não existem verdades simples”. É inútil ficar debatendo em uma crítica escrita a temática de Dúvida. Ele é um produto que rende uma boa roda de discussão, tornando-se muito mais interessante quando assistimos acompanhados a história. Como foi no meu caso: passei minutos a fio discutindo o filme com as pessoas que assistiram o filme junto comigo e no final das contas a nossa conversa nunca chegava ao fim. Dúvida é cinema de arte, cinema para discussão. Coisa muito rara de se encontrar nos dias de hoje. Fazia muito tempo que eu não assistia a um longa que me despertasse tantas idéias e opiniões a cerca de seu roteiro. Esse é o maior coringa do filme: propôr pensamentos."
- Matheus, Cinema e Argumento
LEIA A CRÍTICA COMPLETA


Up Altas Aventuras, de Pete Docter

"Para quem duvidava que a Pixar seria capaz de entregar outra animação do nível de seus dois últimos sucesssos (Ratatouille e Wall-E), certamente vai ter de esperar mais um ano. Up – Altas Aventuras pode não ter um roteiro tão criativo como o de Remy, ou ser tão terno e atual como o longa do famoso robôzinho, mas possui uma história que flui, em sua maioria, com a graciosidade e a competência naturais da produtora. Coube aos diretores de outro sucesso, Monstros S.A (Pete Docter e Bob Peterson) a difícil tarefa de transformar um argumento contestável num produto aceitável, e o resultado, claro, foi mais que satisfatório."
- Weiner, A Grande Arte
LEIA A CRÍTICA COMPLETA

menções honrosas: ainticristo, gran torino, o fantástico senhor raposo, o curioso caso de benjamin button, o casamento de rachel, amantes

7 comentários:

  1. Muito bom ter lembrado de Distrito 9!

    ResponderExcluir
  2. Desde já obrigado pela menção! Adorei seu top 10 do ano, o meu teve sete longas em comuns - inclusive meu top 3 é esse mesmo. Parabéns e até 2011! :)

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente? O Lutador e Inimigos Públicos JAMAIS entrariam na minha lista. Acho filmes somentes bons e nada mais. Mas Star Trek e Distrito 9 sim e só não entraram porque eu ainda não tinha visto quando fiz a lista. Obrigado por ter incluido meu texto aê borther!

    Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu TOP 10. Adoro todos que você indicou e não mudaria muito do meu. Parabéns pela premiação em geral, e esperamos ansiosos até o próximo ano.

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Alguns filmes da tua lista eu não gostei tanto... Considero "O Lutador", "Distrito 9" e "Inimigos Públicos" apenas bons filmes. E obrigado pela menção, principalmente porque você colocou um trecho do filme que eu considero o melhor do ano passado!

    ResponderExcluir
  6. Mais uma vez, obrigado pela menção! E, como já disse, teremos uns 5-6 em comum. Inclusive nossas duas primeiras colocações são idênticas.

    ResponderExcluir
  7. Estou honrada pela menção, mais uma vez agradeço! E, seu top 10 está ótimo, pelo menos alguns filmes poderão se repetir em minha lista.

    Beijos! ;)

    ResponderExcluir

Seguidores