22 de nov de 2009

Watchmen - O Filme (2009)


Uma grande característica do cinema é que diversos métodos podem ser utilizados para que a película tenha qualidade. E os artifícios só aumentam com o avanço acelerado da tecnologia no ramo. Além dos magistrais efeitos visuais, há o essencial para uma obra perfeita, o uso cuidadoso da trilha sonora, uma fotografia sem exagero e, principalmente, o uso inteligente da câmera é o que torna um filme memorável e o diretor uma lenda.

Em Watchmen – O filme o problema do longa é a direção superestimada de Zack Snyder que é cheia de erros e cheia de acertos também. Porém, é bem mais fácil os erros serem visíveis do que os acertos. O filme não é uma experiência tão prazerosa de ser vista na grande tela quanto na tinta, no traço e no papel. Watchmen é considerada a melhor Graphic Novel de todos os tempos, mas o que Snyder precisa entender é que não será o melhor filme de todos os tempos quando for adaptado. É uma história realmente muito interessante, porém é contada de uma forma monótona e lenta que cansa em certos momentos. O mais desagradável de todo o longa é a narração que só funciona perfeitamente na HQ e que no filme soa como apenas uma cópia. Mas não é. Obvio que as alterações devem existir para que o filme não se torne longo demais. E mesmo que seja um filme de duração relativamente longa, não chega a ser uma sessão chata; é gostoso de ver. Estou parecendo muito controverso em meu ponto de vista. Entenda onde quero chegar: trata-se de um filme com gradiosas cenas, com um visual formidável, mas que também há as cenas chatas e até mesmo desnecessárias. Creio que Watchmen seja um filme que cresça em nossas cabeças, já que quando vi pela segunda vez minha opinião já amadureceu em relação à adaptação controversa de Snyder.

É por isso que é tão difícil adaptar graphic novels, porque elas já são um roteiro pronto junto com storyboard, meio trabalho feito. Mesmo assim é uma boa adaptação, merece ser conferido e será uma experiência absolutamente fantástica para quem não leu a obra original de Alan Moore (não creditado no filme) e Dave Gibbons. Os personagens ganharam profundeza nas mãos do diretor. O elenco está quase impecável: Jackie Earle Haley dá um show de interpretação como Rorschach, mesmo que o rosto se seu personagem mal apareça, sua voz é marcante e sua postura e atos, impressionantes. Billy Crudup faz de seu personagem - que exige realmente uma inexpressão - memorável. E Jeffrey Dean Morgan torna seu personagem grande dizendo grandes diálogos em suas poucas aparições. À propósito Snyder tratou os “diálogos memoráveis” da HQ de forma banal e acertou. A força de Watchmen – O filme está no maciço roteiro, mas os créditos não devem ser dados à David Hayter e Alex Tse (roteiristas) e sim ao excêntrico Alan Moore. Outros atores, porém, só não recebem o devido destaque.

Além de um gibi de uma equipe de super-heróis, Watchmen trata dos problemas sociais, políticos e morais que vivemos no mundo de hoje e que, sejamos francos sempre viveremos. É uma obra genial e revolucionária e o filme não causa tamanho impacto quanto o gibi causa, mesmo que traga consigo uma retratação dos mesmos problemas universais. Não sou tão radical quando Moore que abominou o filme e disse que não funcionária na tela. O filme funciona bem e até mais do que eu esperava. Há certos vazios e pequenas cenas que achei desnecessárias para serem adaptadas. Tiro o meu chapéu para a poderosa trilha sonora que diz muito sobre a mensagem que o filme deve passar nas letras e vozes de Bob Dylan, Janis Joplin, Billy Holiday, Jimi Hendrix e outros. O filme já inicia com uma brilhante sequência de créditos com a música The Times They Are A-Changin na voz marcante de Dylan. Watchmen funciona muito bem no cinema. Nada é inadaptável, tudo é possível. Como eu disse, trata-se de um filme enigmático. Talvez seja preciso assistí-lo, duas, dez, cem vezes para que eu passe a gostar. Quem sabe daqui a dez anos ele seja bastante celebrado...


Watchmen - O Filme
(Watchmen, Inglaterra/EUA/Canadá, 2009)
Direção: Zack Snyder Roteiro: David Hayter, Alex Tse Elenco: Malin Akerman, Billy Crudup, Matthew Goode, Jackie Earle Haley, Jeffrey Dean Morgan, Patrick Wilson, Carla Gugino, Matt Frewer, Stephen McHattie, Laura Mennell, Rob LaBelle, Gary Houston, James M. Connor, Mary Ann Burger. Ação/Drama/Ficção. 163 min.

8 comentários:

  1. Esse filme diziam ser a grande obra prima baseada nos quadrinhos! Repleta de efeitos especiais excelentes e coisa e tal. Mas fiquei interessado! Pelas fotos, parece bem parecido a HQ! e gosto do trabalhos de Zack Snyder! Como não conheço o Gibi, será totalmente um mundo novo para mim, o mesmo que não sinto desde Sin City, que parecia o próprio quadrinho em movimento!

    ABRAÇO e boas provas finais!!!

    ResponderExcluir
  2. O que amei neste filme é sua condução autoral. Não tem nada de Hollywood no meio. Amei a história e sua alegoria arrasadora. E que visual!

    4 estrelas.

    ResponderExcluir
  3. Eu achei um grande film ee não me decepcionei nem um pouco com a espectativa gerada, mas... não li a Graphic Novel então posso não ter com o que comparar, rs...

    ResponderExcluir
  4. Ricardo, Sin City é totalmente quadrinho em movimento, apesar de ser um bom filme. Mas a visão de Snyder ficou interessante. Afinal, ele agora não é taxado como visionário? Então...

    Wally, é bem diferente dos convencionais filmes de super-heróis que estamos acostumados a ver. E o visual é fantástico. Ainda pensei em dar 4 estrelas, quem sabe com a versão do diretor eu dê até 5 estrelas... É uma possibilidade!

    O Cara da Locadora, eu tive a oportunidade de ler a genial Graphic Novel e acho bem melhor "Watchmen" ser lido do que ser visto. Embora seja uma obra que não deva ser digerida de uma vez só...


    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. "Watchmen" tem excelentes efeitos visuais e alguns momentos bem inspirados, como a sequência de abertura. Porém, acho que o filme perde por respeitar demais o material original. O longa se torna cansativo porque o diretor se recusou a cortar certas cenas.

    ResponderExcluir
  6. Kamila, parece que só você entendeu meu ponto de vista. É exatamente isso: a preocupação de ser fiel demais à obra original. É um filme grandioso, porém um pouco cansativo. Bjo.

    ResponderExcluir
  7. Olá cara, adorei seu blog. Também tenho um: www.oficinadeideias54.blogspot.com Dê uma conferida.
    Abraço, fé em Deus e muito sucesso.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo desenvolvimento e proposta do seu blog, Rafael!

    Tens extremo bom gosto e como eu gosto de cinema, vou vir sempre!

    estou te seguindo já!

    ResponderExcluir

Seguidores